9.11.13

Regresso



enquanto os cães são alimentados com gelados
as duas ruas que se cruzam junto da casa que ardeu
reconhecem as nossas mãos como uma bala de amor.
Hoje  guardo os teus olhos no meu bolso de Whisky - noite
numa história sem palavras da folha-branca
onde todos os sonhos são cromados pela chuva-mel.






30.3.12

lisboa-porto




A música no coração é uma cozinha desarrumada pelo tsunami da tua pele cortada pelos beijos nas tuas pestanas.
O não sentido da música indiana toca no regresso mágico na cidade do norte onde um ABRAÇO DE SEMPRE NOS ESPERA.

25.3.12



As casas da estrada repetem-se como uma letra nos meus olhos

O f de felicidade chega hoje com a primavera,

onde nos passeios de sombra surge o nosso descanso de todos os dias.

espero por ti como um golo de meio campo.

Por baixo das pontes abandonadas os barcos são o chão

de uma cidade vazia como uma ponte onde corro para trás e para a frente.